Metaverso: entenda o conceito que tomou conta da internet

Usuário fazendo utilização do metaverso em computador

Apesar de não ser relativamente novo, o metaverso se tornou destaque nos últimos meses. Esse conceito trata-se de uma evolução da internet como a conhecemos, em que os ambientes virtuais serão cada vez mais imersivos e compartilháveis. 

O termo ficou famoso após Mark Zuckerberg, cofundador do Facebook, anunciar, em outubro de 2021, que a marca que controla essa e outras redes sociais de sucesso passaria a se chamar Meta, com objetivo de se aproximar do metaverso. 

Para os próximos anos, a empresa promete lançar produtos e soluções tecnológicas visando o mundo digital. De acordo com especialistas na área de tecnologia, esse conceito vai alterar a forma como nos relacionamos e interagimos nos ambientes virtuais. Então, o que é metaverso? Confira neste post! 

O que é metaverso? 

Ao contrário do que algumas pessoas podem pensar, o metaverso (ou metaverse) não é nada distante ou novo. Na verdade, ele é uma realidade paralela e compartilhada no meio virtual, dentro da qual podemos interagir. 

Esse termo surgiu pela primeira vez em 1992, no livro “Snow Crash”, do escritor Neal Stephenson. Apesar de necessitar de equipamentos tecnológicos, o metaverso não se trata de nada físico, mas é como se fosse um conjunto de ideias e soluções que vão moldar a forma como interagimos no mundo virtual. 

Essa realidade virtual busca passar uma sensação de realidade, como se realmente estivéssemos fazendo parte desse universo. De acordo com Zuckerberg, podemos pensar no metaverso como uma internet materializada, em que podemos adentrar no conteúdo, em vez de apenas visualizá-lo.

Nesse sentido, os videogames são considerados uma espécie de metaverso. Nos games, o jogador interage com outras pessoas, segue as regras e vive a realidade imposta no universo do jogo. Porém, segundo as gigantes da tecnologia, a ideia é que essa experiência seja cada vez mais imersiva, dentro e fora dos videogames. 

Uma das possibilidades do metaverso para os próximos anos será a possibilidade de criar avatares. Com isso, as pessoas poderão ser e viver da forma como quiserem, dentro de uma realidade virtual, mas simulando o mundo real. 

Como o metaverso vai funcionar? 

Na verdade, já estamos em uma espécie de metaverso. Entretanto, para os próximos anos, a expectativa é que a realidade virtual faça cada vez mais parte do cotidiano das pessoas, nos mais diversos âmbitos. Para isso, será preciso tornar equipamentos tecnológicos mais acessíveis financeiramente. 

De acordo com a empresa de consultoria Gartner, cerca de 25% das pessoas vão passar pelo menos uma hora por dia no metaverso até 2026. Nesse sentido, o metaverso estará presente nos momentos de trabalho, compras, educação, interação social e entretenimento. 

Apesar de estarmos hiperconectados, não há informações exatas sobre como funciona o metaverso totalmente imersivo que a Meta prometeu para o futuro. Porém, espera-se que praticamente todas as interações possam ser feitas no mundo virtual, desde curtir um show com os amigos até assistir às aulas escolares.

Durante o lançamento da Meta, foram apresentadas algumas soluções de tecnologia pensadas para o metaverso, que serão disponibilizadas na plataforma de ambientes virtuais da empresa.

  • Horizon Workrooms: plataforma elaborada para reuniões de trabalho sem sair de casa e em qualquer lugar do mundo. Para aumentar a produtividade, diversas ferramentas estarão disponíveis para facilitar o trabalho remoto;
  • Horizon Worlds: solução voltada para encontros sociais com os amigos. Nesse ambiente virtual, os personagens podem realizar diversas atividades juntos, mesmo se cada pessoa estiver em um local diferente do mundo;
  • Horizon Home: desenvolvido para espaços privados de socialização, como se fosse uma casa virtual personalizada. Os personagens vão simular uma convivência igual à que temos no mundo real dentro dos nossos lares.

Como acessar o metaverso?

Para interagirmos totalmente no mundo virtual e, ao mesmo tempo, com os elementos do mundo real, será necessário utilizar tecnologias que vão simular essa realidade mista. A seguir, entenda o que é realidade virtual e realidade aumentada. 

Realidade aumentada (VA)

Realidade aumentada serve para adicionar, por meio de equipamentos computacionais, elementos do meio físico no mundo digital. Nesse aspecto, o famoso jogo Pokémon Go utiliza essa tecnologia ao inserir os personagens do jogo no ambiente em que o jogador está. 

Realidade virtual (VR) 

A Realidade virtual é o próprio ambiente digital imersivo 3D que o usuário pode acessar por meio de algum equipamento, como óculos especiais e headsets. Dessa forma, é possível interagir nessa realidade paralela. 

Os óculos de realidade virtual são um dos equipamentos que dão acesso a viver o metaverso. Entretanto, atualmente, ele ainda não é vendido em todas as partes do mundo, além de ter um valor que não é acessível. Especialistas apontam que a democratização da tecnologia será um dos grandes desafios para o futuro.

O metaverso é o futuro da internet

Não há uma data para estarmos totalmente no metaverso. Isso porque algumas barreiras dificultam o desenvolvimento e a democratização de tecnologias, como o preço de equipamentos, além da necessidade de internet com conexão mais rápida, algo que será alcançado com a internet 5G. 

Porém, além da Meta, outras gigantes da tecnologia estão se movimentando para lançar produtos e serviços dentro do conceito do metaverso. A Microsoft lançou uma plataforma para fazer reuniões por meio de hologramas.

A desenvolvedora Epic Games, dona de um dos jogos de maior sucesso no mundo, o Fortnite, pretende tornar o game ainda mais imersivo nos próximos anos. De acordo com o CEO da empresa, o metaverso é uma oportunidade que vale trilhões de dólares.

Então, como o metaverso entra no e-commerce? Caso o metaverso se concretize, as marcas poderão oferecer uma experiência imersiva ao público, permitindo que ele interaja, por exemplo, como se estivesse dentro de uma loja virtual. Por isso, é bom estar por dentro do assunto nos próximos anos. 

A sensação do real no ambiente digital é importante tanto para experiência do usuário durante a compra, como também para segurança ao comprar, ter a certeza daquilo que está adquirindo, a famosa experiência imersiva real.

Entenda a importância da transformação digital 

A internet está em constante transformação, por isso é importante que as empresas estejam por dentro das últimas novidades da tecnologia. Para entender melhor o tema, acesse o post “Os pilares da transformação digital nas empresas”.

Como exemplo, temos a plataforma de e-commerce da loja Petz. A Stoom contribuiu para o desenvolvimento de um site equipado com um sistema de inteligência artificial e reconhecimento facial para cachorros, que analisa as expressões dos animais, captadas pelas câmeras de notebooks e outros dispositivos móveis, para indicar o nível de interesse dos pets em relação a brinquedos, bolinhas e petiscos exibidos em vídeos na tela.

Implementar a inteligência artificial na plataforma de e-commerce da Petz possibilita que a experiência do cliente seja mais completa e personalizada. Além disso, essa inovação se tornou referência não só no setor pet, mas no mercado de e-commerce como um todo, colocando a Petz como finalista de vários prêmios relacionados ao ecossistema.

Gostou? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Baixe gratuitamente nosso e-book sobre logística no e-commerce e saiba mais sobre o assunto

CONTEÚDOS RELACIONADOS

MAIS CONTEÚDOS