Blockchain no e-commerce: veja como impacta o marketplace

blockchain

Como uma tecnologia criada para armazenar os bitcoins de maneira descentralizada, o blockchain é um local no qual todas as informações de transações financeiras ficam armazenadas por tempo indeterminado.

Acessível a todos os usuários — criptografando as identidades dos envolvidos —, os dados das operações são permanentes, impossibilitando que haja algum tipo de mudança ou cancelamento da operação.

Devido à legitimidade atestada por essa “cadeia em blocos” (tradução do termo em inglês), esse sistema de armazenamento, hoje, pode ser usado para além de transações financeiras com moeda virtual, beneficiando vários mercados, como o marketplace.

Possibilitando transações mais transparentes e seguras, ele dispensa o envolvimento de terceiros, já que o sistema estrutura e controla as informações, deixando-as visíveis a todos. Agora que você entendeu a relação dessa cadeia com o e-commerce, veja um exemplo de como pode ser usado no marketplace.

 

Como aplicar o blockchain ao e-commerce?

Com 74% dos consumidores brasileiros preferindo a compra digital ao invés das lojas físicas, o e-commerce é um grande nicho a ser aproveitado. Com  a iniciativa de trazer mais segurança na hora de colocar os dados do cartão, o blockchain (carteira virtual) no e-commerce promete ajudar a conquistá-lo.

No marketplace, por exemplo, com os registros sendo gravados pelo Distributed Ledger Technology (DLT), o usuário tem certeza de que os produtos são legítimos, além de conquistar ofertas mais atraentes. Isso porque, como a operação é aberta a todos que se interessarem, a concorrência passa a ser aberta.

Em outras palavras, o mercado deixa de ser centralizado, como é feito com um gateway de pagamento, e passa a ser uma cadeia peer-to-peer, na qual produtos, vendedores e clientes conseguem negociar diretamente.

 

Quais os critérios para usá-lo?

A tecnologia blockchain traz diversos benefícios para o e-commerce e para o usuário, mas para utilizar esse sistema é necessário ficar atento a alguns critérios que mantêm a rede de negociação. Confira:

  1. As operações realizadas pela rede de negociações devem ser rastreáveis, com registros únicos e inalteráveis;
  2. Os envolvidos na negociação precisam estabelecer e aumentar a relação de confiança na rede,
  3. Os processos devem ser complexos e manter diversos níveis de validação, dando mais credibilidade ao processo.

Assim, o blockchain deverá ser incluído em uma dessas camadas de transações, no qual serão explicadas as regras do negócio e que níveis de acesso o usuário deverá ter para fazer parte dessa rede de informações abertas.

 

Impacto do blockchain nos marketplaces

O marketplace é um tipo de negócio que pode ser impactado diretamente com a implementação dessa tecnologia, como comentamos acima. Ao remodelar o seu funcionamento, o blockchain atrairá novas formas de se fazer negócio, reformulando as estratégias de vendas. Veja a seguir como isso pode acontecer.

 

Hospedagem descentralizada

Contrariando a lógica dos marketplaces tradicionais, os que adotam o blockchain nos seus processos conquistam uma hospedagem descentralizada. Ou seja, as empresas parceiras não precisam de supervisão, no qual cada seller fica responsável por subir e atualizar os seus produtos ou serviços.

 

Smart contracts

Outro impacto gerado por essa tecnologia são os contratos inteligentes — smart contracts —, que são sistemas auto executáveis que estão aptos para processar os dados contratuais e seguir as especificações.

Isso quer dizer que o software é capaz de permitir que uma transação financeira seja concluída ou passada adiante, logo após os envolvidos assinarem virtualmente o contrato de parceria, por exemplo.

 

Maior flexibilidade na definição de termos

A falta de intermediário permite a negociação direta entre consumidores e vendedores, criando uma jornada de cliente personalizável com normas próprias que seguem as necessidades dos usuários.

 

Ambiente mais seguro

Com o alto nível de transparência entre as operações, os marketplaces que adotam o sistema blockchain wallet — carteira virtual — possibilita que as transações sejam facilmente rastreadas dentro de um registro público. Assim, o risco de cair um golpe ou uma fraude é quase zero.

 

Desenvolva o UX do seu e-commerce

O blockchain é uma nova tecnologia que quando agregada ao seu e-commerce traz mais segurança e personalização. Por isso, além de impulsionar o negócio on-line com a introdução do dinheiro virtual, também melhora a experiência do usuário.

Caso queira ficar por dentro de outros recursos capazes de desenvolver o UX (User Experience) da sua plataforma, acesse o blog da Stoom e fique por dentro das novidades desse setor.

Gostou? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Baixe gratuitamente nosso e-book sobre logística no e-commerce e saiba mais sobre o assunto

CONTEÚDOS RELACIONADOS

MAIS CONTEÚDOS